Como baixar a febre do seu filho…

Padrão

…e mais sete coisas que você precisa saber dela.

crianca-dengue

De repente, você viu que seu filho está meio quietinho… Coloca a mão na testa dele e sente aquele calorão… É febre. “Sabemos que 1/3 dos atendimentos de emergência e ligações para pediatras são por causa de febre aguda”, conta Márcia Sanae Kodaira de Almeida, pediatra do Hospital Santa Catarina (SP). Mas antes de correr para o telefone ou para o hospital, há algumas coisas que você precisa saber:

1) A febre não é uma doença, é um sintoma. Isso quer dizer que o aumento da temperatura simplesmente mostra que alguma coisa está acontecendo no organismo, o que é um bom sinal. Febre está associada a quadros infecciosos ou inflamatórios e sinaliza que o corpo está em combate. “É uma reação do organismo para combater uma infecção. O sistema imunológico libera defesas, que circulam melhor quando a temperatura aumenta no organismo. Funciona como uma defesa”, explica o pediatra Cid Pinheiro, do Hospital São Luiz (SP).

2) Acima de 37,8°C a criança precisa ser medicada. Isso é um consenso entre médicos alopatas. “Acima dessa temperatura, a criança já começa a ter um mal-estar geral: dói a cabeça, dói o corpo”, explica Márcia. A medicação deve ser feita para aliviar esse sintomas, não necessariamente para baixar a febre. Após dar o remédio, mesmo que a temperatura ceda, se a criança continuar paradinha, gemente, prostrada, ligue para o pediatra. Vale lembrar que a faixa de temperatura “normal” do corpo vai de 36°C a 37,2ºC.

3) Crianças pequenas naturalmente têm uma variação maior de temperatura. Se você deixar a criança aquecida demais, com casacos e cobertas em excesso, a temperatura corporal pode aumentar significativamente por causa desse superaquecimento. Isso acontece por dois motivos. O primeiro é que o termorregulador da temperatura, que fica no cérebro, ainda é imaturo. O segundo é que a superfície de contato da criança com o mundo externo ainda é muito grande em relação à massa, o que faz com que os bebês ganhem e percam calor com mais facilidade. Para ter certeza de que é febre mesmo, desagasalhe e dê um banho no bebê e só então meça a temperatura de novo.

4) Não precisa temer a convulsão febril. “Um dos maiores temores dos pais é que a febre provoque convulsões nas crianças, mas isso é um mito”, explica Pinheiro. Apenas uma parcela muito pequena das crianças está sujeita a isso, e geralmente há uma forte predisposição genética. As crises convulsivas podem ser desencadeadas apenas quando a temperatura está subindo muito rapidamente, quando a criança tem em torno de 6 meses a 6 anos e apenas se ela tiver a predisposição.

5) Cuidado redobrado com… crianças menores de 3 meses e, principalmente, recém-nascidos. No primeiro pico de febre, eles devem ser levados imediatamente ao médico, assim como crianças com alguma doença de base (no coração, nos rins, no pulmão, ou aquelas que tomam remédios específicos). Nesses casos, o alerta é máximo.Se a criança não se encaixar nesses perfis, mas a febre persistir por mais de três dias, também é preciso procurar o pediatra.

6) Fique atento aos sinais de perigo. Se a criança com febre ficar muito prostrada, sonolenta demais, se estiver mancando, respirando rápido, gemente, com muita dor de cabeça ou dor abdominal prolongada, com irritabilidade intensa, choro incontrolável, manchas pelo corpo, ou se convulsionar, é preciso levá-la ao pronto-socorro imediatamente.

7) Intercale a medicação  Muitas vezes, antes do intervalo recomendado entre uma dose e outra de remédio, a temperatura  começa a subir novamente. Nesse caso, você pode dar um outro tipo de medicamento. Se a criança tomou paracetamol, por exemplo, você pode dar buprofeno. Também vale fazer esse revezamento para não exceder a máxima dose diária recomendada. Por exemplo, se o remédio pode ser dado de 4 em 4 horas, mas não mais que 5 vezes ao dia, em 24 horas, esse limite não seria respeitado, por isso, é melhor alternar as medicações. No entanto, SEMPRE com orientação do pediatra.

8) Para ajudar a baixar a febre você pode…

– DAR BANHO: “A temperatura da água tem que estar um pouco abaixo da temperatura que a criança está para ir roubando calor aos poucos. Mas nada de choque térmico – se a criança sentir frio, o próprio corpo vai tentar produzir mais calor, dando aquela sensação de calafrio”, explica Márcia.

– FAZER COMPRESSAS: mesmo que sejam menos efetivas do que o banho, era um costume de antigamente fazer compressas frias nas articulações e na testa para baixar a febre. Se a criança ficar incomodada com as compressas ou começar a sentir frio, melhor não insistir.

-REPOUSAR: Não precisa obrigar a criança a dormir, só descansar. Se ela fica agitada, o metabolismo aumenta e, consequentemente, a temperatura do corpo também.

– BEBER BASTANTE LÍQUIDO: Quando a criança ou adulto está com febre, ela transpira mais. A evaporação do suor rouba a água do corpo e essa perda de líquido pode provocar desidratação. Por isso, é importante manter o seu filho hidratado – o que não significa dar um monte de água.  “Conforme a temperatura for baixando depois da medicação, tente oferecer aos poucos, para evitar também que ela vomite. Quando a temperatura está muito alta, ela não vai querer nada, por isso, melhor tentar hidratá-la bem entre os picos de febre”, recomenda Márcia.

– COLOCAR ROUPAS LEVES: Quando a febre está subindo, sentimos mais frio. Quando ela estabiliza, vem a sensação de calor. Por isso, é importante prestar atenção às roupas, para que a criança fique confortável. Prefira tecidos leves, como algodão.

REVISTA CRESCER

Sobre danipeternel

A mãe mais felizzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz :) "Três coisas agradeço a Deus todos os dias de minha vida:o ter-me permitido o conhecimento de sua obra,o haver acendido a lâmpada da fé na minha treva material e o ter-me dado outra vida a esperar depois desta". (Frei Anselmo)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s