Ensinando às crianças o verdadeiro sentido do natal :)

Padrão

Image

Presentes, presentes, presentes… e o Pai Natal, claro! Para as crianças, a quadra natalícia resume-se, praticamente, a estas duas coisas. Coisas importantes, sem dúvida, mas limitativas. Afinal, o Natal é muito mais do que isso e é fundamental que as crianças o percebam – só assim podem viver e recordar, ano após ano, o verdadeiro espírito da quadra.

Pequenos ajudantes. Existem inúmeras actividades natalícias a decorrer nesta época dentro das nossas casas: desde as decorações festivas, à elaboração dos postais e telefonemas a familiares, passando pela confecção dos tradicionais doces, sem esquecer outros rituais que possam fazer parte das suas festas. Por isso mesmo, é essencialenvolver as crianças em todos os preparativos para o Natal. Só assim perceberão que a quadra é, de facto, mais do que a noite de Consoada passada ansiosamente a olhar para o relógio, à espera que dê as 12 badaladas para que se possam abrir finalmente as prendas.

Aniversário de Jesus. O Natal existe porque Jesus Cristo nasceu e, sendo este o seu aniversário, nada mais apropriado do que o recordar. Independentemente das tradições religiosos serem ou não praticadas no seio da vossa família, nada impede que não possam ler juntos a história do nascimento de Jesus, seja através da Bíblia, seja através de livros apropriados para crianças. Ensine à pequenada qual a origem do Natal, ou seja, o motivo de tanta festa.

Conhecer o presépio. Em seguimento da história de nascimento de Jesus, faça questão de integrar um presépio na sua decoração natalícia. Se o seu cenário de natividade for muito antigo ou demasiado frágil para mãos pequeninas, adquira um presépio mais barato com o qual os miúdos possam “brincar”. Aproveite e leia a história de Jesus junto do presépio, ficando a cargo das crianças colocar as figuras nas suas respectivas posições à medida que a história se vai desenrolando.

Histórias de Natal. A par com histórias sobre o nascimento de Jesus e do presépio, procurem ler, em conjunto, outros contos de Natal, dando ênfase àqueles livros e aventuras que, fugindo das prendas, do pai Natal, das renas e do pinheiro, terminam com pequenas lições de vida que todos nós adoramos aprender ou recordar.

Prendas do coração. Limita o número de prendas que oferece à pequenada, não excedendo três embrulhos por criança – afinal, foi quantas o Menino Jesus recebeu dos três reis magos. Por outro lado, incentive e ajude as suas crianças a confeccionarem os presentes de Natal que gostariam de oferecer, em vez de os comprar. É uma excelente maneira de lhes mostrar que não é o valor monetário que mais interessa, mas sim a intenção. Poupa-se nos presentes e ganha-se em dedicação e carinho.

Recuperar o calendário de Advento. A expectativa e a ansiedade que antecedem o Natal podem ser incorporadas num calendário de Advento que faz a contagem decrescente a partir de 1 de Dezembro e até ao dia 24. Podem optar pelos calendários pré-comprados que escondem um chocolate por de trás de cada porta e atribuir um a cada criança ou então confeccionarem o vosso próprio calendário familiar em que, por exemplo, todos os dias é aberto um embrulho que contém uma mensagem ou uma pequena lembrança para um elemento diferente da família.

Música maestro. Incorpore a música de Natal nas tradições da época, principalmente nas semanas e dias que antecedem os dias 24 e 25 de Dezembro. Apesar de clássicos como A Rena Rodolfo ou A Todos um Bom Natal serem sempre um enorme sucesso junto da pequenada, procure ensinar-lhes outros temas como O Menino está Dormindo ou Canção de Natal que vão de encontro ao verdadeiro significado deste que é um dos mais importantes feriados do ano.

Tempo de Natal, tempo de família. Saiam de casa em família e desfrutem do melhor que a época tem para oferecer… e não estamos a falar de centros comerciais cheios de pais natais e cinema natalício (embora ambas sejam opções igualmente válidas). Porque não experimentarem outro tipo de actividades: visitar uma exposição natalícia num museu, assistir a uma peça de teatro relativa à quadra, um concerto de Natal com coro de Igreja ou ir à Missa do Galo na noite de Consoada? Ao vivo e a cores o verdadeiro espírito natalício terá, certamente, outro impacto nas crianças e na forma como vão viver a quadra a partir de então.

O valor do voluntariado. Embora esta seja uma quadra festiva, é também nesta altura que somos alertados para aquelas pessoas que pouco ou nada terão na mesa de Natal. Ajudar quem mais precisa é um dos gestos mais nobres da época natalícia e uma excelente oportunidade para mostrar à pequenada que mais importante do que receber, é dar. Envolva-os na escolha de roupa usada para doar, na compra de um brinquedo para crianças desfavorecidas ou na aquisição de um cabaz de bens alimentares para entregar nos peditórios que, por esta altura, se encontram nos hipermercados.

Dê o exemplo. Se deixar o stress e o consumismo natalício dominar os dias desta quadra, o mais certo é as crianças interiorizarem esses mesmos valores. Se, por outro lado, viver esta época em família, recordando velhas tradições ou incutindo novas, vai ensinar-lhes que o espírito de Natal está assente no amor e na entrega ao próximo, não na quantidade de prendas que têm debaixo do pinheiro.

Sobre danipeternel

A mãe mais felizzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz :) "Três coisas agradeço a Deus todos os dias de minha vida:o ter-me permitido o conhecimento de sua obra,o haver acendido a lâmpada da fé na minha treva material e o ter-me dado outra vida a esperar depois desta". (Frei Anselmo)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s